TAP avança com ‘lay-off’ para 90% dos trabalhadores

O Conselho de Administração da TAP confirmou que vai colocar os trabalhadores em regime de “lay-off”. A partir de 2 de abril, e pelo período de pelo menos um mês, vai aplicar-se “a suspensão temporária da prestação do trabalho para cerca de 90% dos trabalhadores e uma redução do período normal de trabalho, em 20%, para os restantes”, pode ler-se na mensagem enviada aos colaboradores e à qual a CMTV teve acesso. Para além disso, os administradores executivos e não executivos voluntariam-se para abdicar de 35% da sua remuneração.

Devido à forte quebra na procura e às “restrições ao tráfego aéreo já impostas”, a companhia aérea suspendeu praticamente todas as rotas. A partir de 1 de abril, e até 4 de maio, só irá operar para a “Terceira e Ponta Delgada, nos Açores, e para o Funchal, na Madeira”. Um plano que poderá sofrer alterações, caso a evolução da pandemia assim o justifique. A TAP mostra-se ainda disponível para garantir missões de repatriamento e de transporte de carga humanitária.

Nos próximos dias, os colaboradores vão ser informados sobre a modalidade que lhes será aplicada. No caso da suspensão de funções, o pagamento será de “2/3 das remunerações fixas mensais”. Por outro lado, quem sofrer uma redução no horário de trabalho, passa a auferir 80%. 

Fonte: Correio da Manhã